Nota de repúdio às declarações do Secretário Especial de Desestatização, Salim Mattar

A FEITTINF vem a público demonstrar seu total repúdio e indignação com as declarações do Sr. Salim Mattar que atacou de forma caluniosa os servidores públicos da DATAPREV (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência) e do SERPRO (Serviço Federal de Processamento de Dados).

Na manhã desta terça-feira (21), em entrevista à Rádio Gaúcha (Grupo RBS/Globo RS), o empresário e secretário especial de desestatização do Ministério da Economia acusou os trabalhadores das empresas públicas de vender os dados dos brasileiros. Mattar não apresentou nenhuma prova e nem indício, apenas utilizou o espaço para mentir e caluniar profissionais que muito contribuem para o Brasil.

“Empresa estatal não funciona bem. Você verifique que os nossos dados estão SENDO VENDIDOS PELOS SERVIDORES PÚBLICOS DESSAS ESTATAIS [SERPRO e DATAPREV]. Então nós temos que privatizar porque, se privatizar, tem legislação, poderemos processar essas pessoas, é muito diferente”, foram com essas ultrajantes palavras que Salim Mattar vociferou ataques aos trabalhadores.

O secretário de desestatização não menciona, por exemplo, o processo de desmonte da DATAPREV que já está em curso. Episódio que já está trazendo consequências no dia-dia da população brasileira quando vimos perplexos a volta da chamada “fila do INSS”, uma fila que está atrasando o acesso a devida aposentadoria pelos contribuintes brasileiros e que faz o Governo contratar de forma emergencial 7.000 militares. A pergunta que fica é: a quem essa agenda atende? Certamente não é ao povo brasileiro e nem os interesses nacionais.

Mattar não cita, por exemplo, que ao passar a gestão dos nossos dados previdenciários para uma empresa privada, isso é, que tem compromisso único e exclusivo com o lucro de seus acionistas, o atual governo se arrisca a um vazamento sem precedentes dos dados da grande maioria dos brasileiros. Exemplos recentes de manipulação de dados em massa obtidos de maneira ilegal, tal como vimos com o caso Facebook x Cambridge Analytca, mostraram o quão perigoso pode ser para um país passar para uma empresa acostumada ao tratamento comercial dos dados.

Qual a garantia que o povo brasileiro tem que os dados não serão utilizados para atender anseios diferentes dos devidos objetivos da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência?

A sanha privatista e de desmonte do Estado do empresário, que lucra em sua empresa às custas de gordos subsídios fiscais (pagos pela população) para ter o grosso de seu faturamento na venda de carros a um preço inferior ao do mercado, mostrou que não tem limites. Ele escolheu que não vai medir esforços para entregar os nossos dados para a iniciativa privada. O secretário tenta colocar jogar o povo brasileiro contra os servidores em busca de facilitar a negociata do patrimônio brasileiro. Para Mattar, vale mentir, caluniar e destruir a história da DATAPREV e do SERPRO, uma história que muito nos orgulha.

Defender a DATAPREV e o SERPRO é defender o direito à privacidade, à soberania nacional e, sobretudo, é defender a democracia. É DEFENDER O BRASIL!

A FEITTINF irá acionar o Sr. Salim Mattar na justiça e adotará todas as ações judiciais cabíveis.

Não vamos tolerar que ataquem os trabalhadores da DATAPREV e do SERPRO!

NÃO À PRIVATIZAÇÃO DA DATAPREV E DO SERPRO!

Antonio Neto
Presidente da FEITTINF e do SINDPD-SP
FEITTINF – Federação Interestadual dos Trabalhadores de Tecnologia da Informação
SINDPD-SP – Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo