Cobra mantém intransigência em 7ª mesa de negociação

Mesmo após quatro dias de greve, empresa continua resistindo às tentativas de fechamento de acordo

Nesta quinta-feira, 24, aconteceu a 7ª mesa de negociação na sede da Cobra Tecnologia, em Brasília, entre a FEITTINF e a empresa para definir questões relacionadas às cláusulas econômicas e ao reajuste salarial dos mais de 600 trabalhadores do estado de São Paulo.

Na ocasião, Paulo Roberto de Oliveira, diretor de Políticas Sindicais da FEITTINF e secretário de finanças do Sindpd, o representante da OLT Enver Padovozzi Ferreira e o advogado José Eduardo Furlanetto analisaram e debateram a proposta apresentada pela Cobra.

No entanto, mais uma vez em direção ao retrocesso, a Cobra permanece inflexível às necessidades expostas pelos trabalhadores, e o acordo não foi firmado.

Proposta da Cobra

A empresa se recusou a conceder o reajuste retroativo à data base de 1º de outubro, o que significa oito meses sem qualquer reajuste, além de oferecer o percentual de 1,63% do INPC sem qualquer aumento real.

A proposta foi muito inferior às reivindicações apresentadas pela Federação. Além disso, a Cobra propôs reduzir a complementação salarial e retirar a cláusula que trata do pagamento da Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR), uma das mais importantes conquistas da categoria.

A empresa afirma, na ata, que “os esforços para apresentar uma proposta com índice econômico foram realizados” e pede para que os trabalhadores “retornem imediatamente às suas atividades nas localidades em greve”. Contra o retrocesso e o assédio da empresa contra os trabalhadores, a FEITTINF segue mantendo a greve dos trabalhadores e deve seguir para o ajuizamento de dissídio coletivo.

Clique aqui e confira a ata da 7ª mesa de negociação.

Greve resiste

Após decisão unânime em assembleia realizada no dia 15 de maio, os trabalhadores da Cobra aderiram à greve por tempo indeterminado e, desde o dia 21 de maio, seguem firmes contra a postura apresentada pela empresa em mais esta negociação.

No entanto, nesta sexta-feira, 25, às 10h, será realizada assembleia na porta da BB Tecnologia, quando os trabalhadores devem alinhar quais diretrizes seguir na busca pelos seus direitos, equivocadamente, alvo de contestação por parte da Cobra.

Confira a cobertura da paralisação.

Greve na Cobra Tecnologia tem adesão em massa dos trabalhadores de São Paulo

Segundo dia de greve: Cobra tem 100% de adesão à paralisação

Greve na Cobra Tecnologia pode afetar o funcionamento dos caixas eletrônicos no Brasil